Fundadores

Home / Fundadores

Os descendentes de Narciso Ferreira ficaram unidos pelo vínculo da gestão de um vasto e rico património edificado e imaterial. À data do seu testamento encontrava-se viúvo, com cinco filhos vivos, e seria por estes, pelo genro António Manuel Ferreira Braga e pelas viúvas dos outros dois filhos falecidos (José e Manuel Carlos), Cândida Gonçalves e Margarida Brito, respectivamente, dividido todos os seus haveres e propriedades, conforme as disposições inscritas em documento oficial. A divisão da riqueza foi acompanhada por um objetivo comum, de cariz social, baseada na continuidade da benemerência.

 

José Ferreira

Nasceu em 4 de dezembro de 1882, em Riba de Ave.

Em 1906 casou com Maria Amélia da Silva Neves Santos, que faleceu passado praticamente um ano, sem deixar descendentes.

Em 1908 voltou a casar, com Maria Cândida Gonçalves, tendo resultado deste casamento 5 filhos: Maria José, Maria Júlia, Maria Antónia, José Maria e Jacinto Narciso.

Esteve na gerência da Fábrica Sampaio Ferreira, tendo sido sócio das outras empresas do pai, bem como de fábricas em Arcozelo e Vila do Conde.

Faleceu em 13 de Novembro de 1922.

 

Rita de Oliveira Ferreira

Nasceu em 9 de Setembro de 1884, em Riba de Ave.

Em 1904 casou com António Manuel Ferreira Braga, tendo sido ele um dos grandes colaboradores de Narciso Ferreira e um dos continuadores da sua obra. Do casamento resultaram 5 filhos, Manuel (faleceu prematuramente), António, Luísa, Branca e Eva.

Faleceu em 23 de dezembro de 1973.

 

Delfim Ferreira

Nasceu em 13 de Dezembro de 1888, em Riba de Ave.

Em 1909 casou com Sílvia Gomes Ferreira, tendo resultado deste casamento quatro filhos: Maria de Lurdes, Maria Alice, Sílvia e Delfim Alexandre, estes últimos dois netos de Narciso Ferreira encontram-se ainda vivos no presente ano de 2012.

Delfim teve formação académica na Alemanha, na Real e Imperial Escola de Reinchenberg, completando o Curso de Técnico Industrial. Possui um vasto currículo profissional (que certamente daria um livro), tornando-se num industrial com enormes êxitos, ele que foi considerado, na década de 1960, como um dos homens mais ricos de Portugal. Destacou-se sobretudo na Companhia Hidroeléctrica do Ermal.

Faleceu em 24 de Setembro de 1970.

 

Alfredo Ferreira

Nasceu em 19 de Outubro de 1890, em Riba de Ave.

Em 1912 casou com Maria Amélia Costa, tendo resultado deste casamento um filho: José Carlos.

Para além de sócio das empresas de Riba de Ave, Bairro e Varosa, ocupou o cargo de vereador da Câmara Municipal de Famalicão. Pelos seus feitos de benemerência, recebeu a Comenda da Ordem Militar de Cristo e o Grau de Cavaleiro da Ordem de Benemerência.

Faleceu em 20 de Dezembro de 1959.

 

Joaquim Ferreira

Nasceu em 3 de Fevereiro de 1893, em Riba de Ave.

Em 1913 casou com Maria Ermelinda Costa, e depois com Laura de Jesus Pinheiro, tendo resultado deste casamento quatro filhos: Joaquim Júnior, Miguel, Ermelinda e Eva.

Recebeu preparação escolar no Colégio de Santa Maria, no Porto. Sócio principal das empresas de Riba de Ave e grande dinamizador da Companhia Hidroeléctrica do Varosa. Foi um grande benfeitor de Riba de Ave, tendo sido distinguido com a Comenda de Mérito Industrial e Agrícola.

Faleceu em 13 de Julho de 1948.

 

Raul Ferreira

Nasceu em 14 de Março de 1895, em Riba de Ave.

Em 1915 casou com Maria da Glória Gomes Ribeiro, que em 1947 recebeu o título de Condensa de Riba de Ave, tendo resultado deste casamento um filho, Raul.

Recebeu preparação escolar no Colégio de Santa Maria, no Porto. Sócio das empresas da família, foi fundador de outras, como a Raul Ferreira Lda e a Fábrica de Fiação e Tecidos de Braga, Lda.

Revelou-se como grande benemérito de Riba de Ave, tendo estado na Fundação do Hospital de Riba de Ave com seu pai, e depois, na construção da Igreja Paroquial e noutras obras dirigidas pela Fundação Narciso Ferreira, conjuntamente com seus irmãos.

Fez a doação de duas quintas em Oliveira de São Mateus, para aí ser edificado o bairro social – Centro Residencial do Quinteiro, inaugurado em 23 de junho de 1969.

A 15 de agosto de 1947 o papa Pio XII concedeu-lhe o título de Conde de Riba de Ave, oficialmente autorizado pelo Governo de Portugal. Em 30 de junho de 1950, o Governo confere-lhe o Grande Oficialato da Ordem de Benemerência. Em 18 de janeiro de 1952, foi-lhe concedida a Comenda Equestre do Santo Sepulcro de Jerusalém e em 12 de maio de 1956 a Grã-Crus da mesma Ordem.

Faleceu em 9 de abril de 1974.

 

Luciana de Oliveira Ferreira

Nasceu em 2 de setembro de 1898, em Riba de Ave.

Em 1920 casou com Arnaldo Gonçalves, que esteve na gerência da Fábrica de Bairro. Fez parte da administração da CHENOP e em 1936 fundou a Fábrica de Fiação e Tecidos da Ponte da Pedra, em Leça do Balio.

Do casamento resultou dois filhos, Maria Luciana e Arnaldo.

Faleceu em 5 de Outubro de 1949.

Manuel Carlos Ferreira

Nasceu em 28 de maio de 1905, em Riba de Ave.

Em 1927 casou com Maria Margarida de Brito, tendo resultado deste casamento dois filhos: Jorge e Maria Luísa.

Vítima de acidente de automóvel morreu com 30 anos, na altura exercendo o cargo de administrador da empresa Oliveira & Ferreira Lda.

Faleceu em 4 de fevereiro de 1935.