© 2015 Fundação Narciso Ferreira | Todos os direitos reservados

ESTATUTOS 1945

FUNDAÇÃO NARCISO FERREIRA

Regulamento

Da

«Fundação Narciso Ferreira»

Artigo Primeiro

É instituída na freguesia de Riba d’Ave, do concelho de Vila Nova de Famalicão, ao abrigo dos

artigos 444.º, 445.º e 446.º e seu § único, do Código Administrativo. uma obra de assistência e

utilidade local destinada a prestar assistência económica e moral às famílias da mesma freguesia e em

especial às dos empregados e operários das fábricas pertencentes aos sócios fundadores.

Artigo Segundo

A obra será denominada “Fundação Narciso Ferreira”, em memória piedosa e justa homenagem

social prestada pelos instituïdores seus filhos ao fundador das fábricas que representam uma das mais

produtivas actividades desta região e a honesta sustentação de centenares de famílias.

Artigo Terceiro

A Fundação propõe-se desenvolver e manter as seguintes modalidades de assistência:

a) Assistência espiritual de harmonia com a autoridade e disciplina da Igreja Católica;

b) Assistência educativa, abrangendo a instrução elementar e bôlsas de estudo para educação profissional,

secundária ou superior, dos alunos que revelarem capacidade excepcional;

c) Assistência materno-infantil abrangendo: o auxílio à constituïção de novos lares; a cooperação no

nascimento e criação dos filhos; o abono de família, de harmonia com o aumento dos legítimos encargos

famíliares;

d) Assistência na doença;

e) Assistência na invalidez.

Artigo Quarto

Para efectivação dos fins previstos no artigo anterior, a Fundação será dotada com os edifícios seguintes:

a) Os prédios e terrenos onde está instalado o hospital Narciso Ferreira, os quais foram construídos

pelos fundadores e onde por conta dos mesmos êste funciona com o respectivo pôsto de socorros e

enfermarias;

b) Uma Igreja em construção, que, além de satisfazer às necessidades espirituais da assistência poderá

servir de templo paroquial, para o que terá anexo residência paroquial. O templo abrigará, de harmonia

com as normas que a autoridade da diocese determinar, os restos mortais do patrono da instituïção e de

sua mulher Eva Rosa de Oliveira Ferreira, a fim de as suas almas serem piedosamente lembradas

pelos fiéis que nêle vierem a reünir-se para renderem culto a Deus;

c) Uma Escola Cantina Patronato para a qual os fundadores ofereceram 600.000$, e vai ser

construída, sendo 500.000$ para fundos da mesma e 100.000$ para compra de terrenos para a sua

construção.

d) Um edifício, onde se encontra a actual escola da freguesia e vai ser transformada em asilo para

velhos, uma vez obtida autorização do Estado;

e) Um teatro para espectáculos recreativos ou cinematográficos, já construído, revertendo a favor da

Fundação o rendimento líquido da sua exploração;

f) Pequena maternidade com pôsto de puericultura e dispensário infantil;

g) Cozinhas económicas e refeitórios infantis para os empregados e operários das fábricas;

h) Creches para os filhos dos operários nas fábricas;

i) Escola Elementar para os filhos dos empregados e operários;

Todos êstes imóveis, parte já construídos e outra parte em projecto, serão afectados aos fins da mesma

Fundação.

Artigo Quinto

Além dos bens referidos no artigo anterior constituem património do Instituto;

a)  2.000.000$ que os 10 sócios fundadores se subscreveram em cotas de 200.000$ cada para início

de capital da Fundação;

b) 500.000$ para a Escola Cantina Patronato, a entregar à competente repartição e mais 100.000$

para compra do terreno;

c) Tôdas as doações que vierem de futuro a aumentar o seu património feitas pelos fundadores,

conterrâneos ou outros benfeitores.

Artigo Sexto

A Fundação será dirigida por uma comissão composta por cinco dos fundadores, sendo desde já

nomeados

Delfim Ferreira

Alfredo Ferreira

Joaquim Ferreira

António Manuel Ferreira Braga, um dos quais servirá de director e os outros de adjunto.

Pela falta de alguns dêstes membros eleitos, não serão feitas novas nomeações até ficar reduzido a três

membros, servindo, igualmente, um de director e dois de adjuntos.

Na falta dos instituïdores, ou surgindo divergências entre os futuros representantes, os elementos directivos

serão escolhidos, um pelo prelado da diocese, outro pela junta de freguesia e o terceiro pelos proprietários

das fábricas.

Artigo Sétimo

Para uma boa regularidade de contas haverá uma escrita convenientemente montada, aonde todo o

movimento será descriminado. Haverá também dois livros denominados: livro de Ouro e livro de Honra.

No livro de Ouro serão inscritas tôdas as importâncias que sejam oferecidas com intenção de que façam

parte de capital e só sejam aplicados em assistência os seus juros ou rendimentos.

No livro de Honra serão inscritas tôdas as importâncias que sejam oferecidas para a aplicação da

totalidade na assistência.

Artigo Oitavo

O capelão encarregado do culto e da assistência religiosa será designado pelo Prelado Diocesano de

harmonia com as normas da Concordata, podendo desempenhar o cargo de secretário.

É ainda desejo dos instituïdores que nas escolas da Fundação a educação seja orientada pela religião

católica tadicional do país, bem como a assistência hospitalar e de puericultura seja confiada a enfermeiras

religiosas que possuam a indispensável preparação técnica.

Os sócios fundadores

Rita Ferreira Braga, representada pelo

seu marido António Mauel Ferreira Braga

Delfim Ferreira

Alfredo Ferreira

Joaquim Ferreira

Raúl Ferreira

Luciano Ferreira Gonçalves

Manuel Carlos Ferreira (falecido), representado por sua

espôsa Maria Margarida Brito Ferreira

Sampaio, Ferreira & C.ª, Lda.

Oliveira, Ferreira, & C.ª, Lda.

Emprêsa Téxtil Eléctrica, Lda.

Imóveis Que Nesta Data

 Já Constituem Património

Do Instituto

Entrar (ver património)

Voltar ao topo Entrada Sobre a Fundação Património Informações Galeria Contactos